25 de ago de 2009

Pixar Animation Studios



Hoje eu descobri um monte de coisas interessantes sobre a Pixar. Uma delas é que a pronúncia que deveria ser a certa é com a tônica em -ar. Tipo Pixár. Isso porque o nome da empresa provém de um pseudo-verbo em espanhol que significa "criar pixels". Bacana, né?
A Pixar fica em Emeryville, na Califórnia, e foi fundada em 1986 por Edwin Earl Catmull. Ela era uma divisão da Lucasfilm e tinha o nome de Graphics Group. A Graphics Group fazia alguns efeitos especiais em filmes como Star Trek II: The Wrath of Khan e Young Sherlock Holmes.
Agora vem um fato interessantíssimo, do qual eu não sabia: em 1986, ela foi comprada por ninguém menos que Steve Jobs (o co-fundador da Apple) por US$10 milhões. Catmull ficou sendo o presidente da empresa e Jobs o diretor executivo. Foi aí que a Graphics Group se tornou a Pixar.
Mas veja bem os fatos: em 1985, Steve Jobs foi forçado pelo conselho de administração da Apple a sair da mesma (ele era presidente, mas a Apple, ao longo dos anos, se tornou Sociedade Anônima, portanto, o conselho de administração tinha o direito de solicitar sua saída). Então, ele fundou outra empresa ligada à área de informática: a NeXT (o link é de um site que eu não sei se é o oficial, mas tente digitar www.next.com no seu navegador. Adivinha em que site cai...). Em 86, ele comprou a Graphics Group. No início, a Pixar era apenas uma empresa que produzia hardware (computadores e seus componentes), e seu principal produto era o Pixar Image Computer. A Walt Disney Pictures era a maior compradora do Image Computer e mais tarde, as duas empresas desenvolveram o Computer Animation Production System (CAPS), um software para colorir animações no computador. Como o Image Computer não fazia muito sucesso, John Lasseter, empregado da Pixar, produzia curtas-metragens com o aparelho, para mostrar suas capacidades. Um dos curtas é Luxo Jr. Depois disso, a divisão de animações da empresa só cresceu. Porém, Steve Jobs gastava muito dinheiro com a Pixar. Por isso, em 1991, Jobs assinou um contrato com a Disney por US$26 milhões para fazer três longas-metragens, dentre eles Toy Story.
A Pixar fazia o filme e a Disney cuidava da distribuição. Porém, Steve Jobs e o diretor executivo da Disney não se entendiam. Graças a isso, o filme Carros seria o último fime feito em conjunto pelas empresas. Em 2004 a Pixar tentou uma nova união. Porém, suas exigências eram inaceitáveis para a Disney (não haveria divisão de lucros e os direitos autorais dos filmes ficariam com a Pixar). Jobs começou a procurar outras empresas com as quais criar um acordo. Como aDisney possuía os direitos dos filmes já produzidos com a Pixar, ela podia fazer continuações, tanto que começou a produzir Toy Story 3 sozinha. Mas em janeiro de 2006, as duas empresas chegaram a um acordo e a Disney comprou a Pixar por US$7,4 bilhões. Steve Jobs é hoje o maior acionista individual da Walt Disney Pictures e é um dos principais membros do quadro de diretores da empresa.
Aí em baixo segue uma montagem que eu fiz com uma foto de uma luminária da minha casa. =D (Clique nela para aumentar)
Enjoy!

Ir ao Topo