17 de nov de 2010

Vazam duas fotos do PSP 2

Fonte: VG247.

Pois é. Descobri agora há pouco que o VG247 publicou estas duas fotos do possível PSP 2.



Pelas fotos, dá pra ver na parte de trás o trackpad. Uma câmera frontal e uma câmera traseira, adotando a moda do DSi. Um microfone. E os analógicos "gêmeos". Realmente, ele está bacana. A tela é HD, de acordo com o VG247.
De acordo com o site:
"Se você tem alguma dúvida da autenticidade dessas imagens, não tenha. Isso é o que é. Divirta-se."
É... isso aí. Sem mais.

Enjoy! ☺

15 de nov de 2010

A evolução do Mario

Esse vídeo é de 2008, mas é bastante legal. Vale a pena vê-lo. Mostra a evolução do Mario desde o jogo Donkey Kong até o Mario Galaxy, na forma de uma propaganda. Muito bem feito, sincronizado com a música (que também é muito boa, por sinal), quase me fez chorar... OKOK.
Esse vídeo me fez lembrar de uma imagem muito bacana. Essa aqui:


Infelizmente, não sei quem foi o criador dessa imagem. Queria colocar os créditos aqui, mas...
Bem, fica pra próxima. Só sei que ficaram faltando o Paper Mario e o Toon Link... Mas ela já está boa demais do jeito que está.

Enjoy! ☺

O que significa "Nintendo"?

Fontes: Kotaku, Gizmodo Brasil, OMG Facts, NeoGAF, Destructoid, Wikipédia.

Wikipédia:
"Nintendo é a transliteração do nome japonês da companhia, nintendou (任天堂). O primeiro (nin) pode ser traduzido como 'confiado'; ten-dou significa 'céu'."
Dizem por aí que "Nintendo" significa "deixar a sorte para os céus" ou "deixar a fortuna nas mãos do destino". Mas nem mesmo Hiroshi Yamauchi, bisneto do fundador da Nintendo e que deixou o cargo de dono da empresa para Satoru Iwata, sabia o verdadeiro significado desse nome. Ele diz que esses significados aí de cima eram bastante plausíveis. The New York Times publicou, em 8 de outbro de 1955, na seção "Patent Notice", o que parece ser a primeira menção à Nintendo na mídia norteamericana:


"Marca em Japonês
Entre os anúncios de pedido de patente publicados nessa semana está uma da Nintendo Playing Card Company, Ltd., de Kyoto, Japão. O anúncio explica que um dos caracteres japoneses na marca significa 'felicidade, fortuna ou riqueza.' Três outros caracteres, que se pronunciam 'nintendo,' são mais difíceis de traduzir. Eles constituem uma expressão fantástica que não tem uma definição precisa em dicionários tanto em inglês, quanto em japonês, mas o pedido [de patente] os dá um sentido próximo de 'uma empresa cuja fortuna ou prosperidade deve ser deixada à mercê dos céus.'
Evidentemente, o céu sorriu sobre a Nintendo Company, porque ela vem usando a marca desde 1887."
Apesar de essa ser a explicação mais plausível, aparentemente nunca se saberá o significado real de "Nintendo". Mas, claro, não faltam especulações.
A Paula (nossa colaboradora conhecedora de japonês) poderia falar algo sobre isso, já que o grande problema da tradução de "Nintendo" são os kanjis que o compõem: 任天堂.
O livro The History of Nintendo 1889 - 1980: From Playing-Cards to Game & Watch trata acerca de um outro viés do estudo desse significado: o histórico. De acordo com o livro, o kanji "do" (), que significa "altar" ou "santuário", é muito usado por empresas japonesas para dar maior prestígio ao nome. "Nin" () significa "deixar alguém fazer". O xis da questão está no kanji "ten" ().


A Nintendo, como se sabe, produzia baralhos de cartas, os hanafuda.


Os hanafuda da Nintendo eram caros, portanto, depois de um tempo, as vendas caíram. Aí, Fujisaro Yamauchi, o presidente da empresa na época, decidiu começar a vender cartas de pior qualidade, as tengu.



O Tengu (天狗), esse ser aí de cima, era um símbolo de cartas de jogo e apostas ilegais. E ele usa o mesmo kanji para "ten" que em "Nintendo." Uma das razões para isso é que ele tem um nariz grande. Tá, e daí? É que quem fosse nos prostíbulos de Osaka e Kyoto e esfregasse o nariz estava querendo dizer que queria participar de jogos de azar. Estranho... Enfim. Hanafuda é um jogo de cartas com o desenho de flores. São 48 cartas divididas em 4 grupos de 12, cada grupo representando uma estação do ano. Eu acho. E o kanji "hana" () significa "flor". Mas "nariz" também se pronuncia "hana", só que usa um kanji diferente. Então tem-se a relação: tengu-nariz-hana-hanafuda ou coisas do tipo.
Certamente Yamauchi sabia dessa relação, já que ele produzia hanafuda, né?
O livro (aquele citado ali acima) diz que "Nintendo" pode significar "o templo do hanafuda livre" ou "a empresa que tem permissão de fazer/vender hanafuda."
Bem, o próprio livro admite que não há registros que confirmem ou desmintam nenhuma interpretação sobre o verdadeiro significado de "Nintendo".

Enjoy! ☺

14 de nov de 2010

The Zelda Project

Não, esse não é o nome provisório do próximo jogo da série.
The Zelda Project é o nome de um projeto liderado por Adella, uma das melhores cosplayers do mundo. O projeto tem por objetivo fotografar cosplayers de Zelda em lugares bonitos que tenham a ver com os locais de The Legend of Zelda: Ocarina of Time. E depois de várias sessões de fotos (que tendem a ter cada vez mais personagens), será feito um curta-metragem. Legal, né? Super!
"Lost Woods é a primeira das séries de fotografias de cosplay de The Zelda Project. Durante 4 dias, a equipe dirigiu mais de 1425 milhas de ida e volta, tirou mais de 1000 fotos nas florestas de sequoias do norte da Califórnia e acordou às 4 horas da manhã todo dia para capturar a neblina e o nascer do sol. Uma vez que as fotos foram feitas, partiram para o pós-processamento, sendo acrescentados efeitos visuais como um toque final para criar o conceito de uma velha floresta encantada."
Olha algumas fotos dessa sessão:



Muito boas, né? Mas as melhores fotos eu preferi não colocar aqui, para que você as veja diretamente no DeviantArt da Adella. Vai lá e se impressione. Absolutamente todas as fotos ficaram muito boas.
Gostou?
Essa é só a primeira sessão. De acordo com Adella: "nós esperamos ultrapassar ainda mais os limites com nossa próxima sessão: The Gerudo Valley."
Eu estou extremamente ansioso para vê-la, mas vai sair só no ano que vem...
Bem, até lá, estarei esperando.

Enjoy! ☺

Data de lançamento do 3DS


Esse post está saindo com um mês e meio de atraso, é bom constar. O anúncio da data de lançamento do Nintendo 3DS foi feito no dia 29 de setembro. Mas meu PC deu um tilt louco e eu perdi todas as informações que eu havia pego sobre isso. Seguido do acúmulo absurdo de trabalho, o Adriado ficou abandonado por mais de um mês... Felizmente, trago essa notícia, que não é nenhuma novidade agora. Mas é bom que ela esteja nos arquivos do blog. Enfim.
O 3DS chega no Japão no dia 26 de fevereiro, mas na Europa e nos Estados Unidos ele só tem o mês confirmado: março de 2011. Claro, porque o planeta Terra é constituído de Japão, Europa e Estados Unidos. E adeus, América Latina, Canadá, África, o restante da Ásia, e Oceania (estou tirando a conclusão pessoal de que na Antártida não se vende videogame... XD)... Mas então.
Comecem a investir na bolsa, porque aqui no Brasil ele deve chegar bastante caro. No Japão ele vai sair por 25 mil ienes, que é mais ou menos 300 dólares. Convertendo para reais, isso dá aproximadamente R$520,00. Mas, todos sabemos que no Brasil as coisas não vêm sem um imposto exorbitante. Aqui o 3DS deve custar entre mil e dois mil reais... Bem, mas movido pelo forte desejo de ter um 3DS, eu já estou começando a juntar as moedinhas.
Assim que eu comprar meu 3DS Aqua Blue, posto fotos dele, aqui. :3
Mas por enquanto, só posso postar fotos de divulgação do design final dele...



Enjoy! ☺

MiniRemote

A empresa Power A lançou o MiniRemote, um Wii Remote 35% menor que o original. Desenhado principalmente para crianças, o controle também tem botões iluminados e o A, o 1 e o 2 são maiores. Tem a superfície emborrachada, é compatível com o Wii MotionPlus e vem com um MiniNunchuck. É vendido por US$49,99 nas cores preta e roxa; provavelmente, baseado nesse vídeo, virão versões verde e vermelha. Super bacana! Aliás, a Power A tem muitos produtos legais.







Essa empresa é a mesma que lançou também o Play & Build Remote, controle licenciado pela LEGO, no qual você pode montar suas pecinhas. Olha ele aí:


Realmente o Wiimote é um controle que pode ser bastante personalizado. Haja vista essa edição especial dele para o jogo Tron: Evolution:


Bonitão, né? O XBox e o PlayStation 3 também ganharam versões especiais para seus controles baseadas em Tron. Controles personalizados são sempre legais.
Zelda: Skyward Sword bem que podia vir com um controle diferente, hein? Podia vir já com um Wii Remote Plus e personalizado. Que tal, Nintendo?

Enjoy! ☺

Reboot!

Depois de mais de um mês sem posts, o Adriado está de volta.
Para compensar, vou postar aqui algumas coisas que me chamaram a atenção nesse tempo de "coma" do blog. Vou tentar compensar a ausência.
Falhas no computador me fizeram perder tudo o que eu tinha salvo sobre o anúncio da data de lançamento do Nintendo 3DS no mês passado. Uma pena. Mas estamos de volta para tagarelar um pouco mais na cabeça de todo mundo.

Crédito da imagem: fleamo.

Enjoy! ☺

New Super Mario Bros. 3 ou Por que fãs de Metroid não podem fazer jogos do Mario

Antes de mais nada: eu sou fã de Metroid, portanto, não tenho absolutamente nada contra eles (nós). Mas convenhamos: são estilos diferentes que não devem JAMAIS se misturar pelas mãos de fãs inexperientes.


Esse é o vídeo de demonstração do jogo New Super Mario Bros. 3, criado por SKJmin.
Esse vídeo saiu em vários blogs de renome e todo mundo idolatrou o jogo. Eu pensei por um tempo, tentei entender o motivo de tanta idolatria... Mas não cheguei em lugar nenhum... Então resolvi postar aqui alguns pontos sobre isso.
O vídeo, de quase 15 minutos, é dividido em onze capítulos. Eu o executei pensando: nossa, deve ser super legal! Mas a primeira coisa que me apareceu na tela já me deixou com um pé atrás: 49 segundos de descrições e frases desnecessárias, com uma trilha sonora ridícula e uma fonte de texto mais estúpida ainda. Ou: por que você deve ter um mínimo de noção em design antes de criar um vídeo.

Chapter 01 [0:49]: All-Worlds showcase. Ou: como causar náuseas e tonturas em quem está vendo o vídeo. Pra que tantas transições animadas de vídeo? O YouTube deveria ter um vídeo de demonstração de "como não criar um vídeo no Movie Maker". Se bem que se tivesse uma demo assim, seria o próprio vídeo de New Super Mario Bros. 3.
As fases que são demonstradas no capítulo inicial estão bastante bem trabalhadas, claro. Ficou bem legal. Mas as transições de vídeo não me deixaram prestar a menor atenção às fases.


Chapter 02 [2:32]: Known, Loved And Famous Levels. Ou: por que fãs de Metroid não devem fazer um crossover de Mario e Metroid. Caso você não tenha visto o vídeo ou jogado o jogo ainda, melhor explicar com uma imagem:


Então? Ficou legal? Como eu disse: até bem trabalhado, mas legal não ficou, não. Ficou no máximo... interessante.

Chapter 03 [3:30]: Tons Of Bonuslevels. Ou: por que parece que tem Metroid pra todo lado? Poxa, não vou nem comentar muito isso, não. Veja o vídeo e me diga se os bonuslevels não são coisa de gente chata... Coisa que fãs de Mario não querem jamais ver em jogos do Mario.

Chapter 04 [4:50]: Hidden Secrets. Ou: por que os designers da Nintendo estudam anos para não cagar um jogo do Mario. Vamos usar todos os itens possíveis em cada milímetro quadrado da fase? Não.

Chapter 05 [6:04]: Dangerous Traps. Ou: como fazer o jogador desistir de um jogo em 6 minutos. Armadilhas não são o estilo de Mario. Aliás, armadilhas que matam já perderam a graça há muitos anos...

Chapter 06 [6:30]: Heavy Obstacles. Ou: por que não tem um botão pra salvar, que nem em emulador? *jogando o videogame na parede* Mais coisa de gente chata. Sabe essas fases quase impossíveis, que se você errar, tem que voltar no início? Tipo a Grandmaster Galaxy de Super Mario Galaxy 2. Foi a galáxia que mais me tomou tempo no jogo inteiro. Talvez a maioria do tempo que eu gastei no jogo tenha sido nessa galáxia. Tá, nem tanto. Mas ainda é coisa de gente chata. E a Grandmaster Galaxy é só UMA fase.

Chapter 07 [8:12]: Timed Speedruns. Ou: cadê o botão slowdown quando se precisa dele? *jogando o videogame na parede de novo* Cara, alguém precisa ensinar ao SKJmin que isso NÃO É MARIO.

Chapter 08 [9:42]: Brainbreaking Puzzles. Ou: cara, pra quê? Quizzes? Sério? Precisa disso? Você realmente acha legal ter isso num jogo desse estilo?

Chapter 09 [10:54]: Sick, Large Mazes. Ou: pelo menos ele sabe que são "sick". Nossa, só de olhar pra essas fases labirínticas já fiquei traumatizado. Sem mais comentários, assista o vídeo para entender.

Chapter 10 [12:58]: Challenging Challenges. Ou: ainda bem que SKJmin não é designer da Nintendo. Cenas de gente chata de novo. Os capítulos 3, 6, 7 e 10 poderiam ter sido juntados em um só. ¬¬

Chapter 11 [14:16]: Special Guests. Quando eu vi o título desse capítulo, pensei: "nossa, que bacana, dá pra jogar com personagens de outras franquias, legal!" Não. Desiluda-se. Não é do jeito que você está pensando. Olha essas imagens e tire suas próprias conclusões.




Pois é.
Eu desanimo de ver versões de jogos feitas por fãs. Sério.
Esse jogo é um patch para a ROM norteamericana de New Super Mario Bros., de Nintendo DS. Estou com os dois pés atrás, agora.
Nintendo, dá um jeito nos seus fãs.
Ah, se você quer baixar o "jogo", faça-o aqui. Mas eu não recomendo, não.

Enjoy! ☺

23 de set de 2010

Os 121 anos da Nintendo

Fontes: WiiNintendoG1VG247Kotaku.


Hoje a Nintendo comemora seus 121 anos de vida. 121 anos, cara. É muita coisa!
Em comparação com algumas outras empresas do ramo: a Irrational Games tem 13 anos, a LucasArts tem 28, a SEGA tem 70...
Tá velhinha, hein, Nintendo? Mas tá totalmente em forma.


Em 1889, Fusajiro Yamauchi fundava a Nintendo Koppai em Kioto, no Japão. A princípio, a empresa fabricava cartas de baralho ao estilo japonês, as chamadas hanafuda.


Depois disso, foi uma festa entre os ramos em que atuou. Brinquedos dos mais variados, arroz instantâneo (!), rede de televisão... Mas, felizmente, na década de 70 adentrou nos jogos eletrônicos, onde perdura firmemente até hoje.
Parece que a Big N encontrou seu lugar. Ainda bem. A maior produtora de jogos do mundo, com as melhores e mais cativantes franquias, adorada por legiões de fãs e uma empresa... simpática. De fato, uma das mais carismáticas do mundo.
É por isso que gostamos de você, Nintendo.
Parabéns!!

Enjoy! ☺

22 de set de 2010

WCS - World Cosplay Summit

O Brasil está fazendo bonito lá fora! Já é bicampeão no WSC. Porém esse ano a dupla vencedora foi italiana, levando o troféu e também o título de bicampeã pra casa. Esse ano a dupla vencedora fez uma apresentação baseada em Legend of Zelda. Matéria a seguir:

"
Com uma apresentação impactante, baseada no game “The Legend of Zelda - Twilight Princess”, a dupla italiana Luca Buzzi e Giancarlo Di Perro superou os brasileiros na final mundial, por apenas um ponto, e consagrou-se campeã do World Cosplay Summit de 2010. A final foi disputada domingo 1º, em Nagoya (Japão).
Com isso, a Itália alcança o Brasil no número de títulos no WCS. Os dois são os únicos países bicampeões mundiais (Brasil em 2006 e 2008; Itália em 2005 e 2010).
A apresentação da dupla campeã teve muitas surpresas, com uso intenso de cenários e itens de palco. Luca interpretou Link, enquanto Giancaerlo fez Gannondorf, o senhor das trevas do jogo Zelda."
Dupla Italiana
"Apesar de por pouco não terem conquistado o tricampeonato, a dupla brasileira saiu com o sentimento de dever cumprido. Gabriel Niemietz e Gabrielle Valério, campeões da etapa nacional do WCS, fizeram uma apresentação baseada no game “Valkyrie Profile: Silmeria” e foi uma das únicas a arrancar gritos dos japoneses. A apresentação verde-amarela contou com a simulação de voo da personagem de Gabrielle, que havia sido apresentada pela dupla na final brasileira."

Aqui estão as imagens dos participantes brasileiros dessa e das temporadas passadas:

Campeonato 2010 - segundo lugar - Valkirye Profile

Primeiros vencedores brasileiros - Angel Sanctuary
Segundos vencedores brasileiros - Burst Angel

Vou ficando por aqui, e com uma vontade imensa de fazer cosplays!
fonte: WCS
Enjoy! ☺

Resort para Otakus

E eu achando que não tinham mais o que inventar... A novidade em Amita, província de Shizuoka, é o Resort onde otakus jogadores de Loveplus podem passar o final de semana na companhia de suas lindas namoradas... Virtuais, claro. Confiram na reportagem a seguir.




"A cidade foi escolhida para sediar um novo tipo de turismo: o dos fanáticos pelo game para Nintendo DS chamado Love Plus. O jogo é um simulador de encontros, na qual o jogador adota o papel do protagonista para interagir com três lindas garotas de personalidades bem distintas. Conforme o relacionamento evolui, a afinidade com a personagem de sua preferência resulta no aperfeiçoamento de diversas estatísticas virtuais dela como força física, charme ou inteligência.

A campanha promovida pela empresa Konami aconteceu entre os dias 10 de julho e 31 de agosto, e fez uso de realidade aumentada móvel para proporcionar a interação do visitante com a sua “namorada virtual”. Foram desenvolvidos 13 “locais românticos” em que, combinados ao ambiente local, geraram gráficos 3D das personagens para um aplicativo de iPhone."

Lá poderão ser fotografados ao lado de suas lindas namoradas, até alugar um quarto de hotel, caso as coisas tenham ocorrido bem com a garota, e graças à realidade aumentada ver sua amada dormindo num lindo kimono de verão. Minha grande pergunta é: "Qual é a graça?". Me pergunto que tipo de garoto (porque esse hotel é especialmente direcionado à garotos) frequenta esse tipo de lugar. Há quem diga, e acho que seja a grande defesa de muitos, que as garotas do jogo são extremamente educadas, comportadas e amáveis, logo não estimulam nenhum tipo de prática sexual, muito menos no hotel. Apesar de não acreditar nesse argumento, mesmo que fosse válido o que as garotas da realidade aumentada estimulariam, então? Não estamos falando só de jovens adolescentes, mas também de jovens adultos que encontram seu único relacionamento numa garota projetada virtualmente.

Gostaria de ir num Resort como esse, poder estar realmente próxima desse tipo de tecnologia, algo com o qual não estou acostumada, algo bem interativo e que tem tudo pra dar certo. Mas se fôssemos analisar criticamente esse caso em especial, profundamente... Chega a ser bizarro esse tipo de comportamento. Afinal o turismo da realidade aumentada faz sucesso e muitos garotos preferem uma garota composta por dados de computador do que uma em carne e osso. Apesar das críticas lançadas aos usuários dessa tecnologia nesse meio, os otakus se levam a sério e isso, para eles, é o que importa. Temos também toda a campanha do governo japonês para aumentar a taxa de natalidade do país, mas se depender desses mesmos otakus, pouca coisa vai mudar.
    
mais fotos aqui.




Enjoy! ☺ 

19 de set de 2010

O novo controle analógico do PSP

Fonte: Kotaku.
Pois, então. Olha isso:
É o novo controle analógico do PSP, de uma edição limitada do portátil, que será lançada em breve. Antes, o analógico era assim:
Agora é assim:
Sabe, depois que o 3DS foi anunciado com o seu glorioso Slide Pad, eu pensei: "nossa, como assim? A Nintendo está copiando o controle do PSP!" Sim, é fato. E é até meio difícil conceber algum analógico diferente desse em um portátil. Mas, apesar disso, a Nintendo conseguiu sair por cima, por causa do aspecto côncavo do Slide Pad. O dedo se encaixa perfeitamente no disco.
E como não podia deixar de ser, o analógico do PSP precisava ser renovado. É meio tenso usá-lo com sua superfície quase convexa. O dedo meio que escapa, apesar da textura. É o que acontece com o analógico do Nintendo 64. As alavancas do PlayStation 2 até que eram menos desconfortáveis, por serem emborrachadas e gigantescas. E o PSP agora tem seu próprio Slide Pad côncavo. Eu criticaria a Sony até não poder mais por causa disso, mas quem começou a copiar esse aspecto foi realmente a Nintendo. Digamos que tenha sido uma... troca de experiências. Mas que ficou muito parecido, ah, isso ficou.
Eu acho que todos os videogames estão convergindo para se tornarem iguais. Olha só: os consoles de mesa estão todos usando sensores de movimento, sejam com controles ou o próprio corpo. E os portáteis caminham para o mesmo ponto, também, com o PSP usando uma área sensível ao toque e o 3DS colocando um controle analógico.
Eu não me surpreenderia nada se daqui a duas gerações de games as grandes produtoras de videogames se juntassem e fizessem um monopólio imbatível com apenas um console de mesa e um portátil. Ou um console para cada estilo de gamer: os casuais, os hardcore ou outras divisões quaisquer.


Enjoy! ☺

Dissecando Mario

Fontes: The Daily Wh.at, MoistProduction.
Jason Freeny é um cara que adora dissecar nossa infância, mostrando como realmente as coisas são por dentro. E aproveitando o embalo dos 25 anos do nosso querido Super Mario, ele não podia deixar de abrir o encanador, colocando à mostra suas entranhas. OK, sem viagens: seus trabalhos são ótimos, muito criativos e interessantes! Olha só:
E se você quiser ver um pouco mais da arte desse cara, visite o blog dele.


Enjoy! ☺

17 de set de 2010

eBox

Fonte: G1.

Ora essa! Isso não é notícia que se vê todo dia. Uma empresa nova ou uma empresa que não é do ramo lançando um videogame.
Agora é a vez da Lenovo, uma grande fabricante de computadores, com sua subsidiária Eedoo.


E engole essa: eles vão lançar um console chamado eBox. E toma mais essa: ele não usará controles: seu corpo será o controle! Mas que ideia mais original! Como ninguém pensou nisso antes?!

Péra... quê?
Ora essa, Lenovo! Como assim, vocês estão copiando o XBox 360 e o Kinect? Que vergonha... Aiaiai, isso não se faz.
Começando a ver por aí, esse console não vai dar certo nem aqui, nem na China.
Ou melhor, Jack Luo, presidente-executivo da Eedoo Technology, acredita que o aparelho vai dar certo na China, sim. A divisão está em processo de arrecadação de fundos para o projeto pela segunda vez. Na primeira, o capital recebido de Lenovo, Legend Holdings e Legend Capital (que são, por alto, todas partes de uma mesma empresa) foi usado para desenvolvimento de software. Aparentemente, o dinheiro dessa arrecadação terá o mesmo fim. Poxa, eles querem levantar "dezenas de milhões de dólares" dessa vez. É de se esperar que os games tenham uma qualidade ao menos razoável.
Luo diz que mais de 19 milhões de famílias chinesas poderão comprar o eBox se ele for vendido a menos de 3000 yuans (cerca de 450 dólares americanos ou 770 reais; ou seja, coisa pra caramba, você não vai querer gastar tanto dinheiro nisso). Nem ele sendo vendido com 30 jogos, como Luo afirmou que será, vai valer a pena.
Sinceramente, penso que o eBox vai tão longe quanto o Zeebo, videogame brasileiro do qual quase nenhum brasileiro ouviu falar.
E esses consoles me lembram de uma coisa muito interessante: os Famiclones. Esse site lista todos os consoles que copiaram e/ou continuam copiando o Nintendo Entertainment System (ou Famicom, no Japão). Até agora, a contagem está nos 337 clones. Vez ou outra aparecem mais na lista. É medonho.
Eu gostaria que o eBox fosse pra frente, mas é muito difícil, com o Wii, o XBox 360 e o PlayStation 3. Por que eu trocaria Super Mario, Halo ou God of War por um console que não me oferece nada de original ou, simultaneamente, clássico? E ainda por cima, por 700 reais? Nem a pau, Juvenal!
Ah, mas de qualquer forma, como tudo no universo dos jogos eletrônicos, o jeito é esperar pra ver.
Até que o console é bonitinho, parece com o Wii, mas é mais redondinho. Mas nada que me faça querê-lo.


E olha que legal a tirinha que tem no site da Eedoo. Eu não entendi nada do que está escrito, mas se eu não a tivesse visto no site da Eedoo, nem tivesse "eBox" escrito no último quadrinho, pensaria que era do XBox. Óbvio.



Muito tenso.

Enjoy! ☺
Ir ao Topo