9 de mar de 2010

Chávez e sua perseguição aos videogames

Fonte: G1.

Tá, essa notícia é meio velha (ela é de 18 de janeiro de 2010), mas tá valendo.
Resolvi transcrevê-la por completo, porque se eu fosse escrever coisas diferentes, não ia conseguir transmitir a mesma ideia.
Tá aí:

"Chávez diz que PlayStation é um veneno para as crianças

Presidente venezuelano afirmou que games são 'estrada para o inferno'.
Para ele, países capitalistas criam jogos para vender cigarros e drogas.


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou que o videogame PlayStation é um “veneno” e leva as crianças para a “estrada do inferno” que é o capitalismo.


No pronunciamento realizado neste domingo (17) durante o programa “Alo Presidente”, ele também, disse que “estes jogos PlayStation ensinam a matar”. “Em um deles, colocaram a minha cara e o objetivo era matar o Chávez”, esbravejou.

O presidente classificou os games que “explodem bombas em cidades” como produto dos países capitalistas que querem semear a violência para vender suas novas armas para as crianças. “Esses países promovem a necessidade por cigarros, drogas e álcool para que possam vender para elas. O capitalismo é a estrada para o inferno”, afirmou.

Em vez de ter esses jogos, Chávez recomenda a produção de jogos educacionais. Parlamentares venezuelanos criaram uma lei em outubro passado que proíbe a venda de jogos violentos, com pena de reclusão por até cinco anos."



........ What? Bom, eu acho jogos de guerra bem educativos. Siga meu raciocínio: Se os capitalistas criam jogos de guerra para promover a guerra, então quem os joga está aprendendo a lidar com um ambiente de batalha, que, de acordo com os planos capitalistas, virá a acontecer em breve. Então, os jogos violentos ensinam como deveremos agir daqui a alguns anos, quando a guerra tiver explodido. Certo?

Oo

Esquece.


Enjoy!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ir ao Topo