20 de mar de 2011

Miyamoto e o Cubo Mágico

Fonte: 3D Juegos.


Essa notícia também é meio passada, é de setembro do ano passado. Mas ela é bacana, mesmo assim.
Durante a época do aniversário de 25 anos do Super Mario, Shigeru Miyamoto respondeu algumas perguntas dos fãs. No meios das perguntas ele disse o seguinte:

"Por algum tempo tenho visto o Professor Rubik como uma espécie de rival. Sempre pensei que seria genial criar alguma cosia parecida com o Cubo de Rubik. É uma coisa que falei com muitas pessoas. Durante 20 anos sempre pensei que os Cubos de Rubik são geniais, e quero criar algo como isso, mesmo que nunca tenha tentado. Assim, eu tenho que ter calma. Sem me importar se posso ou não criar, pelo menos devo tentar."

Bem , em minha opinião, Miyamoto conseguiria, sim, criar coisas tão geniais quanto o Cubo Mágico (ou Cubo de Rubik). Aliás, acho que o Super Mario já é genial suficiente. E Zelda, também. E tudo o mais.
Mas quem sabe um dia ele não crie uma diversão não-eletrônica, hein? Já pensou?... o Cubo de Miyamoto! Nah... ele vai ter que pensar em um nome melhor...

Enjoy! ☺

A Terra de cima a baixo

Fontes: Geeks are Sexy e Our Amazing Planet.

Esse infográfico é muito legal! Apesar de meio antigo (07/06/2010), eu só fiquei sabendo dele há uns dias, quando saiu no Geeks are Sexy. Dá uma olhada nele aí.


Enjoy! ☺

Cafezinho com Thiago Berzoini


Esse blog é de um cara que foi meu professor, mas acabou se tornando mais um amigo do que um professor, mesmo: Thiago Berzoini. O endereço é cafezinhocomthiago.blogspot.com.
Não pense que você vai chegar lá e ler poesias escritas com palavras que você nem fazia ideia que existiam. Seus textos são bem simples e super tranquilos de se ler e até eu - que não gosto de poesia - leio com frequência e acho o máximo. Como diria o sábio: "escrever poesia, qualquer um escreve". Mas fazer isso bem, são poucos. E eu acredito que o Thiago está entre esses poucos.
Dá uma passada lá, e pede seu cafezinho. É de graça e é bom.

Enjoy! ☺

HQ Sign



HQ Sign é o blog de um amigo meu, Luiz Guilherme. "Amante de quadrinhos, filmes e mangás", demonstra sua maestria em seus posts: aqsign.blogspot.com. Dá uma passada lá!
Desde histórias curtas próprias (TED e seus amigos - ótimo!), até uma fanart de Cavaleiros do Zodíaco, sempre que o HQ Sign é atualizado, meu Google Reader me avisa e eu posso dar uma conferida nas mais novas artes desse cara. É por isso que eu estou compartilhando esse blog aqui no Adriado. Favoritem-no e conheçam um pouco desse trabalho super bacana!

Enjoy! ☺

19 de mar de 2011

Space Colony Art - os projetos de colônias espaciais da década de 1970

Fontes: Geeks are Sexy (não, esse site não tem nada para adultos, antes que você pense; ele é um dos sites mais informativos que eu frequento; claro, sempre tem uma coisa ou outra que sua mãe provavelmente vai achar constrangedora, mas... fazer o quê?), Space Settlement, O Universo - Eternos Aprendizes, Universe Today e Don Davis (esse cara é um artista de ilustrações espaciais; muito bom! Ele é quem fez as imagem das colônias desse post, inclusive essa abaixo).


Antes de mais nada: isso é incrível! Como que eu vivi por todos esses anos sem nunca ter visto isso antes? Sem nunca ter ouvido falar num projeto dessa magnitude?
As imagens são da década de 1970, quando o físico Gerard Kitchen O'Neill, de Princeton, se juntou à NASA Ames Research Center e à Stanford University pra mostrar como colonizar o espaço. Se você está se perguntando o que significa o "Ames" em "NASA Ames Research Center", saiba que é o sobrenome de Joseph Sweetman Ames (adoro esses sobrenomes... não o "Ames", mas o "Sweetman"... Imagina esse sobrenome em Português. Agora imagina conhecer alguém com esse sobrenome em Português), um dos fundadores e presidente por vários anos da NACA. Se você não sabe o que é NACA: National Advisory Committee for Aeronautics. E se você já vive há muito tempo e nunca parou pra se perguntar o que significa NASA, aí vai: National Aeronautics and Space Administration. Pá! Adriado também é cultura!
Enfim, voltando ao assunto principal. Esses desenhos me deram ainda mais vontade de viajar para o espaço do que eu sempre tive. Nem Super Mario Galaxy me deu tanta vontade assim. Sério. É maravilhoso!
Veja por você mesmo.

Colônias cilíndricas (ou Cilindro de O'Neill):
Gerard Kitchen O'Neill propôs aos seus alunos que fizessem desenhos mostrando estruturas que poderiam suportar vida humana no espaço. Com base nesses desenhos, ele criou o livro The High Frontier: Human Colonies in Space, com várias propostas de habitats artificiais espaciais. Para citar a explicação do site O Universo - Eternos Aprendizes:

"Um cilindro de O’Neill consiste de dois cilindros bem grandes com rotações opostas, cada um com 8 km de diâmetro de 32 km de comprimento, conectados entre si. A rotação fornece a gravidade artificial nas superfícies internas enquanto o eixo central do habitat será uma região de gravidade zero onde as facilidades voltadas ao lazer, as unidades de produção especiais ou até  os laboratórios avançados poderão estar localizados.
Para economizar os altos custos associados aos transportes de materiais fornecidos pela Terra, este habitat poderá utilizar matérias primas ejetadas da Lua via mass driver."

Se você não sabe o que é um mass driver:
É um jeito de impulsionar objetos usando ímãs. Foi criado como um modelo de lançamento de foguetes para o espaço a partir da Terra. Normalmente, ele lançaria os objetos a uma velocidade bastante alta, pra não ser puxado de volta para o chão. Mas isso geraria uma força G muito grande no foguete e em tudo que estaria dentro dele (claro). Essa força é bem perigosa para humanos e equipamentos sensíveis. Mas! Isso não acontece em baixa gravidade, já que não será necessária tanta velocidade, o que, aliado a essa baixa gravidade, geraria baixíssima força G. É por isso que seria muito mais aplicável usar mass driver a partir da Lua. Porém, mass driver é um processo caríssimo de se fazer. Se você quer saber mais sobre isso, vai no Universe Today.
Enfim, chega de explicações sobre isso, agora veja as imagens, que são impressionantes (só lembrando que você pode clicar nas imagens para vê-las maiores).

Visão exterior de uma colônia cilíndrica dupla:


Visão exterior de várias colônias de dois cilindros:


Visão interior incluindo visão através de grandes janelas:


Visão interior com longa ponte suspensa:


Interior com nuvens e vegetação:



Colônias toroidais (ou Toro de Stanford):
Sabe o que é uma toróide? Não? Uma coisa com uma forma toroidal tem o formato de uma rosquinha, ou de um anel do Sonic. Entendeu? Certo.
O Toro de Stanford foi proposto pela NASA Ames como alternativa ao Cilindro de O'Neill. Teria no mínimo 1,8 quilômetros de diâmetro, podendo suportar de 10 mil a 140 mil habitantes. Mais uma vez, a citação do site O Universo - Eternos Aprendizes:
"O toro de Stanford poderia rodar uma vez por minuto para fornecer entre 0,9 e 1 g de gravidade artificial na superfície interna do anel externo através da aceleração centrípeta. O interior do toro poderia ser usado como um espaço para o habitat e seria grande o suficiente para criação de ambientes ‘naturais’ interiores como jardins, com árvores e plantas diversas. A luz do Sol seria aproveitada via canalização para dentro da estrutura através de um sistema de espelhos."
Olha esses vídeos aqui e aqui, muito legais que mostram uma visão tridimensional dessa estrutura. Só pra constar, esses vídeos me lembraram muito Star Fox, principalmente o de Nintendo 64.

Visão exterior:


Visão com um corte, expondo o interior:


Visão exterior, com várias colônias vizinhas:


Visão interior:


Parte do aro incluindo alguns veículos espaciais por perto:



Colônias em formato de Esfera de Bernal:
De acordo com O Universo - Eternos Aprendizes:
"A esfera de Bernal foi proposta 1929 por John Desmond Bernal e acredita-se que serviu de inspiração para Gerard O’Neill e seus alunos. A proposta original de Bernal incluía uma concha esférica de 1,6 km de diâmetro, cheia de ar, projetada para uma população de 20.000 e 30.000 pessoas.
Bernal previa que a com o crescimento da população humana, as necessidades materiais e energéticas iriam superar a capacidade que a Terra poderia fornecer. Colônias orbitais poderiam usar a energia solar e prover espaço extra para uma população extra.
A esfera iria rodar sobre seu eixo duas vezes por minuto fornecendo a gravidade similar a Terra. Uma vantagem geométrica da esfera é prover a menor área de superfície para o maior volume, minimizando as proporções dos escudos anti-radiação necessários."
Super bacana! A Esfera de Bernal impressiona pela época em que foi proposta: 1929. Mesmo nessa época os cientistas já tinham uma ideia da proporção do crescimento da população humana e da necessidade de se colonizar o espaço. Realmente impressionante.

Visão exterior:


Foto de um modelo da Esfera de Bernal:


Visão com um corte para ver o interior:


Interior incluindo um aeroplano movido a pedaladas:


Visão de um módulo agrícola da Esfera de Bernal (múltiplas toróides) com um corte para expor o interior:


Equipe de construção de colônias trabalhando:




Sabe, essas imagens me lembraram bastante Halo, olha só:


Não lembra? Pois é... Eu não sei direito a história de Halo, se alguém souber, me conta. Mas... esse halo aí é uma colônia? Ou não? Bem, eu sei lá. Mas vou dar uma olhada nisso depois.
Acho que depois de escrever tanto, eu preciso descansar um pouco.

Enjoy! ☺

17 de mar de 2011

Editora Abril vai lançar encadernado de Epic Mickey

Fonte: Portallos.


E vai ser quase em abril: 28 de março, pra ser mais exato. Preço: R$14,95. Super bacana! Certamente, o dinheiro para essa revista já está reservado. Espero que na minha cidade sua chegada não atrase.
É, eu sei, eu ainda não joguei Epic Mickey... Mas tenho meus bons motivos: estou jogando Pokémon White, Ghost Trick e Okamiden, todos de DS... E lendo um livro. E "estudando". E trabalhando. Mas ler esse encadernado seria um ótimo estímulo para começar a jogar Epic Mickey, né?
O jeito é esperar (acho que essa frase vai virar a marca do Adriado, escrevo isso em quase todos os posts...)
Enfim, abaixo tem mais fotos, que eu peguei emprestadas do Portallos (mas não vou devolver, não - antes que alguém faça piadinhas desse tipo), de onde eu sugiro que você leia o post, pois eu compartilho das opiniões expressadas pelo autor dele (T_thiago).
E guarde seus 15 reais pra comprar a revista, hein? A não ser que você prefira adicionar esses 15 reais às suas economias para comprar o Nintendo 3DS. Aí tudo bem.





Enjoy! ☺

Não é tão perigoso ir sozinho se você tiver um escudo

Fonte: Nerd Tagarela, que diz que a fonte é Barbalonga (mas eu não achei o link pro post... =/).


Já pensou se o Link não pegasse a espada no início do seu primeiro jogo? Ele ia conseguir chegar ao final apenas com seu escudo! Olha só o diálogo final entre Link e Ganon nesse vídeo.
Eu quero uma prancha de porrada!

Enjoy! ☺

14 de mar de 2011

E se Warren Spector desse suas pinceladas em Zelda

Fontes: Kotaku e CVG.


Voltando novamente com o blog, depois de uma pausa bastante grande (vulgo férias), vou tentar correr atrás e postar coisas não muito novas, mas que eu achei interessante. Começando por isso: em uma entrevista sobre Disney Epic Mickey, Warren Spector foi perguntado pela NGamer sobre o que ele faria à série Zelda se ele fosse encarregado de um jogo da série pela Nintendo. Para quem não sabe, Zelda é uma grande influência em Epic Mickey (haja vista a imagem lá do final do post!), esse jogo que antes do lançamento foi super aclamado; mas depois de lançado... sinceramente, nem ouvi mais nada sobre ele. Minto. Uma pessoa me disse que ficou decepcionada com ele. Mas fazer o quê? Um dia desses eu vou pegar esse jogo pra ver como é.
Voltando ao assunto inicial, Spector respondeu da seguinte maneira (tradução livre de minha parte, OK?):

"Uau! Bem, eles provavelmente não deixariam [que eu fizesse um jogo de Zelda], vamos começar com isso!
Mas cada jogo que fiz eu vejo muito como uma progressão em um caminho específico. Em todo jogo que eu fiz, tentei encontrar uma maneira diferente ou uma maneira melhor para os jogadores enriquecerem suas próprias experiências. Eu quero jogadores contando suas histórias, não escutando as minhas.
Eu teria que achar um jeito de fazer com que o Link seja o Link e tenha sua personalidade, mas também permitir que o jogador se expresse; e se eu não pudesse fazer isso, então eu não faria o projeto.
Nós estaríamos sentados aqui falando sobre as formas que escolha e consequência tomam em um jogo de Zelda, e como o estilo de jogo é importante em um Zelda. E, na verdade, enquanto eu estou aqui sentado falando sobre isso, estou começando a ter algumas ideias de como fazê-lo."

Eu diria que seria interessante ver um Zelda de Spector. Mas! Seria extremamente desgastante jogar um Zelda sem uma linha fixa na história. Sinceramente, eu sou do tipo de jogador que prefere ouvir as histórias do criador do jogo. Não gosto de jogos que não têm uma história fixa. Esse é o meu medo com o Epic Mickey.
Mas que seria interessante, seria.



Enjoy! ☺
Ir ao Topo